Mercado imobiliário
13.set.2016
Tamanho da Fonte: A- | A | A+

Quais os principais desafios do próximo prefeito?

As prioridades são na área da educação, saúde e transporte

Imagem Quais os principais desafios do próximo prefeito?
Logo Copiar Blog Notícia
Quem não sonha com a cidade de São Paulo organizada, melhor estruturada e mais compacta? Com transporte de qualidade? Com um número maior de habitações sociais disponíveis para a população de baixa renda? Mais parques e áreas verdes?  

Em outubro de 2016, os brasileiros vão às urnas eleger o futuro prefeito e vereador. Eleito a cada quatro anos, quem vencer a eleição terá de 2017 até 2020, os principais desafios pela frente: melhorar a questão da saúde pública, mobilidade urbana, habitação, qualidade do ensino, entre muitos outros.

São Paulo é o principal centro financeiro e comercial do país. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE de 2015, a cidade tem uma área total de 1.522,986 km² e conta com uma população de uma mais de 11 milhões de habitantes e uma densidade demográfica de 7.398,26 hab/km².

Mas qual a influência do prefeito no mercado imobiliário?

Todos procuram um bom lugar para morar, trabalhar e passear. E as obras de melhorias nos bairros impulsionam o desenvolvimento da região. Os novos investidores não hesitam em comprar um imóvel que une qualidade de vida com o melhor custo-benefício. 

A valorização imobiliária sempre estará aliada com as melhorias nos bairros, com ruas e praças limpas e arborizadas, infraestrutura de lazer, coleta de lixo, segurança, educação e mobilidade urbana.

Todo prefeito eleito ou releito tem até noventa dias após a sua posse para apresentar o programa de metas de sua gestão. No site da prefeitura de São Paulo é possível acompanhar os projetos de melhoria de cada bairro. Por exemplo, as obras para conservação das ruas e áreas verdes, criação de escolas, creches e postos de saúde.

Por isso, é fundamental estudar o candidato antes de votar. Após eleito é preciso fiscalizar as ações dos políticos. A cobrança é para todos os gestores públicos eleitos. Seja ele, governador, prefeito, vereador, senador ou deputado. 

Os brasileiros estão mais atentos às promessas dos políticos. Em 2013, a cidade de São Paulo teve uma das maiores manifestações contra o aumento da tarifa de ônibus. E neste ano, a Avenida Paulista foi palco do maior protesto político já registrado na cidade pelo impeachment da Dilma. O ato superou a manifestação pelas Diretas Já, realizada em 1984.

O primeiro turno das eleições municipais de 2016 será realizado no dia 2 de outubro. E o segundo turno, está marcado para o dia 30 do mesmo mês.

Fonte:
ZN Imóvel
O Portal de Imóvel da Zona Norte de São Paulo
www.znimovel.com.br/
Equipe de Jornalismo
Grupo de Portais Imobiliários
SP Imóvel
< Post Anterior
Mercado Imobiliário mostra sinais de recuperação
Próximo Post >
Santana: o bairro chave da zona norte