Curiosidades
24.jan.2016
Tamanho da Fonte: A- | A | A+

Os prós e contras das ciclovias

Maior obra de mobilidade urbana da cidade ainda gera debates

Imagem Os prós e contras das ciclovias
Logo Copiar Blog Notícia
Quem é de São Paulo já se acostumou (ou não) a ver um corredor vermelho pelas principais vias da cidade. Principal obra de mobilidade urbana da gestão Fernando Haddad, as ciclovias ainda geram debate acalorados.

Quem usa, é a favor. Quem mora à beira de uma e tem a frente de seu imóvel pintada, nem tanto. Quem vem de fora para a cidade, pode nem entender; urbanistas em geral acreditam que poderia ser mais bem pensadas.

No melhor estilo "Campo dos Sonhos (aquele em que um fazendeiro derruba seu milharal para erguer um campo de basebol), nosso prefeito apostou no futuro ("construa que eles vêm", dizia voz que o fazendeiro ouvia no filme). É claro que deveriam ter sido feitas, mas ao que parece foram idealizadas sem pensar no impacto urbano e na real necessidade delas. Há vias em aclive que nunca ou muito pouco serão usadas; há vias em avenidas que não comportam as bicicletas; há vias em que elas ficam às moscas, pois são bairros que não têm o costume de usar esse meio de transporte (ou lazer); há bairros que teriam maior necessidade, mas que não possuem sequer um metro de faixas vermelhas.

Que fique bem claro que este espaço é totalmente favorável às ciclovias e até incentiva o uso como alternativa de transporte ou por lazer. Mas o que defendemos é que elas tivessem sido mais bem planejadas e projetadas. Chega-se ao cúmulo de, em alguns locais, as ciclovias - pela pura necessidade de se ter uma - ocupar o espaço de calçadas. Outras estarem em cruzamentos de difícil travessia. Mas há também exemplos - e muitos - de vias muito bem localizadas e que são utilizadas todos os dias, em qualquer horário. Salientando que o projeto da Prefeitura é a construção de um total de 400 km na cidade toda.

Afora o transtorno de se perder frentes de imóveis, espaços para estacionamento (daí a importância de uma cultura de dê o lugar dos carros às bicicletas), as ciclovias em todo o mundo são bem aceitas e utilizadas. Não duvidamos - e torcemos por isso - que não será diferente em São Paulo. Mas há bairros mais periféricos, nos quais o uso de bicicletas é mias comum, que precisam e não têm suas ciclovias. O tempo dirá quem estava certo e esperamos que seja o bom senso.

Fonte:
ZN Imóvel
O Portal de Imóvel da Zona Norte de São Paulo
www.znimovel.com.br/
Equipe de Jornalismo
Grupo de Portais Imobiliários
SP Imóvel
< Post Anterior
Condomínios promovem campanhas para combater o Aedes Aegypti
Próximo Post >
Ano fecha com queda no valor de locação