Curiosidades
27.jan.2016
Tamanho da Fonte: A- | A | A+

Condomínios promovem campanhas para combater o Aedes Aegypti

Administradoras orientam eliminar os focos de água parada

Imagem Condomínios promovem campanhas para combater o Aedes Aegypti
Logo Copiar Blog Notícia
Com o objetivo de evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue e do vírus Zyka, administradoras de condomínios promovem campanhas para eliminar os focos de água parada e, assim, evitar que se transformem em criadouros.

Esta época do ano é um período em que chove muito, por isso, a atenção tem que ser redobrada. Os condomínios na Grande São Paulo devem realizar medidas preventivas de combate ao Aedes Aegypti.

Alguns procedimentos são fundamentais para evitar a proliferação do mosquito, como manter uma boa higienização das áreas, recolher o lixo no mínimo uma vez por dia, lavar cestos e latas de lixo, eliminar locais propícios ao acúmulo de água parada.

Para Rodrigo Neaime, diretor da Ollo Administradora de Condomínios e Imóveis, o síndico é responsável pelo condomínio. Ele deve promover uma conscientização em massa entre os condôminos através de circulares, e, ações diárias nas áreas comuns do condomínio. 

Todas as áreas externas também merecem uma atenção especial. "É preciso verificar o fechamento dos reservatórios, calhas, ralos, piscinas, realizar limpeza das caixas d´água e em todas as áreas propensas ao acúmulo de água", explica o diretor.

As administradoras de condomínios também têm um papel fundamental nas campanhas preventivas de combate ao mosquito Aedes Aegypti. "Além de encaminhar aos condôminos comunicados informativos sobre o assunto, a administradora em parceria com o síndico, deve orientar o zelador a realizar vistorias diárias e detectar áreas que acumulam água, como ao redor da piscina, nas cavidades de espreguiçadeiras, entre outros locais", declara Neaime. 

Segundo o diretor da Ollo, os moradores precisam verificar constantemente as sacadas, a fim de evitarem que ocorra acúmulo de água. Também é preciso substituir os potinhos com água que servem de suporte para plantas, por potinhos com areia, além é claro de manter sempre esses locais limpos.

Para viver em harmonia e sem o risco da proliferação do Aedes Aegypti, transmissor da dengue e do vírus Zyka e que tem relação do mosquito e a microcefalia detectada em bebês é importante que cada um faça a sua parte, seja morador, síndico e zelador.


Fonte:
ZN Imóvel
O Portal de Imóvel da Zona Norte de São Paulo
www.znimovel.com.br/
Equipe de Jornalismo
Grupo de Portais Imobiliários
SP Imóvel
< Post Anterior
De olho na Vila Mazzei
Próximo Post >
Os prós e contras das ciclovias