Mercado imobiliário
14.jul.2016
Tamanho da Fonte: A- | A | A+

Caixa dispõe mais de R$ 91 bilhões para crédito imobiliário

Presidente acredita em uma possível redução da taxa de juros

Imagem Caixa dispõe mais de R$ 91 bilhões para crédito imobiliário
Logo Copiar Blog Notícia
Durante o 11º Seminário de Investimentos Imobiliários e Turísticos do Brasil (ADIT Invest 20116), realizado no início do mês de julho ( 4 e 5), o Presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, afirmou que não irá faltar dinheiro para habitação em 2016. A Caixa dispõe de mais de R$ 91 bilhões para o crédito imobiliário até o final deste ano com recursos do FGTS e da poupança.

A Caixa já obteve, junto ao Governo Federal, a liberação de R$ 23 bilhões do compulsório, dos quais R$ 6 bilhões já estão disponíveis, para o financiamento habitacional. "Isso permite manter a taxa de juros dessa linha entre 8% e 10,5% ao ano; mesmo com a SELIC bem mais alta", explicou o presidente.

Gilberto Occhi acredita que a economia brasileira irá apresentar sinais de recuperação, ainda neste semestre. "Nós vamos viver, no próximo trimestre, uma mudança de comportamento do humor do mercado e vamos ter uma tendência, ainda que pequena, de redução da taxa de juros. Isso vai fazer com que tenhamos condições de investimento e de ter de volta os recursos da poupança."

Já em entrevista ao O Globo, Occhi garante que a Caixa Econômica Federal se prepara para reduzir, ainda este ano os juros na compra da casa própria. Segundo o presidente, a ideia é flexibilizar os critérios para beneficiar quem pode dar entrada maior, garantia e pagar em prazo mais curto. 

No ADIT Invest 2016, o presidente destacou as principais ações da instituição com o seu cliente. "A primeira medida foi chamar os clientes do segmento de pessoa física para renegociar suas dívidas em condições atrativas, e com prazo para que o consumidor possa cumprir o trato sem se apertar em seus outros compromissos. Com a mesma finalidade, foi criada uma diretoria, na CAIXA, voltada para a negociação com as empresas que atuam na área de habitação. A ideia é que o banco agilize o saldo devedor dessas pessoas jurídicas, para que elas possam reinvestir em obras, evitando paralisações e desistências dos mutuários, os chamados distratos."

Para Occhi, a CAIXA tomou a decisão de analisar cada uma dessas operações, individualmente, para que possam construir uma dilatação para essas operações, de modo que a construtora possa aguardar o melhor momento e retomar normalmente a sua produção. "Vamos continuar a fomentar a liberação dos recursos, para que possam reconstruir o seu plano de vendas, e para que possamos estar juntos, entendendo esse momento (da economia brasileira). Isso vale, também, para outras operações da CAIXA com seus clientes."

Além do presidente da Caixa, Gilberto Occhi, o ADIT Invest 2016 reuniu os presidentes da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins; da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário (ABECIP), Gilberto Duarte Abreu; e do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), Flávio Augusto Amary.

Fonte:
ZN Imóvel
O Portal de Imóvel da Zona Norte de São Paulo
www.znimovel.com.br/
Equipe de Jornalismo
Grupo de Portais Imobiliários
SP Imóvel
< Post Anterior
"Planejamento é palavra de ordem", diz presidente do Secovi
Próximo Post >
Quando pedir a portabilidade do crédito imobiliário?